Membro da Comunidade Bahá'í do Iémen enfrenta condenção à morte

O Sr. Hamed Muhammad bin Haidara, nasceu no Iémen e é membro da Comunidade Bahá’í do Iémen, foi preso em Dezembro de 2013, num centro de detenção na capital, Sanaa, tendo sido submetido a choques elétricos e outros maus tratos.

Na acusação, que o Observatório dos Direitos Humanos analisou, o promotor acusa o Sr. Haydara de cometer, entre outros crimes, "um ato que viola a independência da República, a sua unidade ou a integridade da suas terras", "trabalhar para os interesses de um estado estrangeiro "," insultar o islão "e" apostasia. "o promotor está a tentar" a pena máxima possível ", o que para algumas destas acusações é a morte, assim como o confisco das suas propriedades.

A esposa de Haydara, Elham Muhammad Hossain Zara'i, disse ao Observatório dos Direitos Humanos que, numa reunião em 4 de setembro com um dos juízes que presidem ao caso, ele a ameaçou com a prisão, por causa da sua Fé e disse-lhe que todos os bahá'ís deviam estar na prisão. No Iémen existem cerca de 1000 bahá’ís, e já muitos sofreram prisão e torturas.

A maioria das acusações contra Haydara relaciona-se com a sua prática da Fé Bahá'í. Elas violam o Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos (PIDCP), que o Iémen ratificou em 1987.

No passado dia 3, os bahá'ís reuniram-se frente ao Tribunal da Segurança do Estado, em Sanaa, pedindo a libertação do Sr.Hamed bin Haidara, entoando a muito conhecida Oração do Báb, para a Remoção de Dificuldades. O vídeo podem ser encontrado aqui.

Notícias Selecionadas
Últimas Notícias
Arquivo
Siga-nos
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2020 Comunidade Bahá'í de Portugal 

  • s-facebook