Templos

 

As Casas de Adoração Bahá’ís são edifícios muito belos, abertos a todos, nos quais os visitantes podem simplesmente orar e meditar numa atmosfera serena, ou ouvir as sagradas escrituras das religiões mundiais a serem recitadas e entoadas. Esta instituição une dois aspetos essenciais e inseparáveis da vida bahá’í: adoração e serviço. Conforme concebidas por Bahá'u'lláh, cada Casa de Adoração proporciona um centro espiritual em torno do qual são estabelecidos departamentos de serviço social, humanitário e educacional, para a população da região.

 

A primeira Casa de Adoração Bahá’í foi construída na Rússia, na cidade de Ashkhabad, na Ásia Central. Concluída por volta de 1908, a Casa de Adoração de Ashkhabad serviu a comunidade bahá'í da região até 1938, quando o local foi expropriado pelo governo soviético. O edifício foi demolido em 1962, depois de ter sido danificado por um terramoto.

A primeira Casa de Adoração no Ocidente foi concluída em 1953, em Wilmette, Illinois, EUA, nas margens do Lago Michigan, ao norte de Chicago. A extraordinária filigrana e a ornamentação da sua cúpula combinam características extraídas dos estilos arquitetónicos do Oriente e do Ocidente, e tem atraído milhões de visitantes ao longo dos anos.

 

Outras Casas de Adoração Bahá'ís foram posteriormente sendo construídas em Kampala (Uganda); Sydney (Austrália); Frankfurt (Alemanha); Cidade do Panamá, (Panamá); Apia (Samoa Ocidental).  

 

A Casa de Adoração da Índia, em Nova Delhi, foi concluída em 1986. Desde então, este templo já ganhou inúmeros prémios de arquitetura e foi destaque em centenas de jornais e artigos de revistas, em todo o mundo. Inspirada na flor de lótus, o seu design é composto por 27 "pétalas" em mármore - organizadas em grupos de três para formar nove lados. Nove portas abrem-se para um corredor central, com capacidade para 2.500 pessoas.  

 

Em poucos anos, o templo de Nova Delhi, tornou-se numa das principais atrações do mundo, com mais de dois milhões e meio de visitantes por ano. Em dias santos hindus, é visitado por mais de 100.000 pessoas. O templo Bahá'í é muito reverenciado pelas pessoas da Índia, independentemente da sua origem religiosa.

 

Todas as Casas de Adoração Bahá'ís estão abertas a pessoas de todas as religiões. Não há sermões, rituais ou clero.

Templo Bahá'í, Estados Unidos (Chicago)
Templo de Lótus, Índia (Nova Delhi)
Templo do Chile

O mais recente templo continental é o Templo Bahá'í da América do Sul, construído em Peñalolén, Santiago do Chile. Foi concebido pelo Arquiteto Siamak Hariri, do Canadá e segue o projeto paisagístico do do famoso paisagista chileno, Juan Grimm. 

Maquete do Templo Bahá'í sob Construção, América do Sul (Chile)
Templo de Lótus, Vista Interior
Templo de Chicago, Vista Interior

“A oração mais aceitável é aquela oferecida com a máxima espiritualidade e ardor...”

-- O Báb

Situado no sopé dos Andes, junto à cidade de Santiago, o Templo Bahá'í da América do Sul é uma estrutura abobadada, luminosa, que acompanha a topografia ondulada das montanhas. Tem um espaço de culto aberto e acessível onde se podem sentar cerca de 600 visitantes. Olhando para o óculo central, no ápice da cúpula, os visitantes vão experimentar uma transferência hipnotizante de luz a partir do exterior do vidro fundido para um interior revestido de mármore português translúcido. Ao pôr do sol, a luz capturada na cúpula vai do branco à prata, ao ocre e à púrpura.

Tem 30 metros de diâmetro e 30 de altura, assenta sobre dez pilares com amortecedores sísmicos fabricados no Chile; a estrutura é de aço inoxidável e foi fabricada na Alemanha; o revestimento exterior é de vidro reciclado Pyrex, do Canadá; as colunas foram levadas da Turquia e o revestimento interior é de mármore de Estremoz.

 

Está rodeado por 4 hectares de jardins e pode ser visto de toda a cidade de Santiago.